22 de set de 2017

#9. Resenha - A Última Névoa e A Amortalhada


Não é nada animador a apresentação visual do livro que traz dois contos dessa autora, para mim desconhecida, até agora. Ele tem uma capa em branco sujo que vai progredindo em degradê até um cinza pálido.
Talvez isso seja intencional, para combinar com o assunto que aborda: A Morte.

No primeiro conto, A última névoa, deparamo-nos com dois primos recém-casados, mas não felizes. O homem casou pela segunda vez, era viúvo, e sua atual esposa e prima, apesar de todo o esforço para agradá-lo, não consegue fazê-lo esquecer da falecida.

Ele nem a procurava como marido, eram como irmãos, e ela encontrava-se enlouquecida com tal situação, sua eterna solidão... Movida por esse sentimento de prisão  e de extremo abandono, ela começa a andar pela propriedade durante a noite e acaba encontrando-se diversas vezes com um homem misterioso, que ela mesma não sabe se existe ou se é fantasia de sua cabeça. O final é surpreendente…
No segundo conto, encontramos outra mulher. Esta, agora, encontra-se no seu próprio velório, mas é ela que narra toda a movimentação naquele local, descortinando as relações que teve com as pessoas que vêm prestar condolências diante do seu caixão.
A autora apresenta a morte de uma forma tão poética que chega a dar vontade de morrer naquela situação apresentada. 
Diante da morte, a vida se descortina e se revela. Uma leitura maravilhosa.

Grande abraço,
Drica.

17 de set de 2017

Clube do Livro - Setembro 2# - O Papel de Parede Amarelo

Título: O Papel de Parede Amarelo

Autora: Charlotte Perkins Gilman

Editora José Olympio

Ano: 2016

Número de Páginas: 110

Classificação: 4/5

 

 

 

 O Papel de Parede Amarelo é um clássico da literatura feminista, como traz em sua capa. Foi reeditado recentemente pela editora José Olympio, mas foi publicado a primeira vez, no ano de 1892, depois de ser recusado por algumas grandes editoras.
Ele foi considerado, à principio, um conto de terror com temática próxima de Allan Poe, mas eu diria que ele está mais para um drama psicológico.
A história apresenta uma mulher que sofre de uma depressão nervosa e que por causa disso é levada, por seu marido, médico psiquiatra, a uma casa de campo para tratar-se. O tratamento consiste em um repouso quase que total, que mais a aflige, do que ajuda...

O livro é um retrato da gritante desimportância dada às mulheres na sociedade da época, final do Século XIX, aonde mulheres e crianças ainda eram tratadas como bens por seus maridos, únicos provedores de seu sustento.
É importante perceber que existem traços autobiográficos dentro do enredo, pois a escritora também havia tido um problema de depressão e recebido um tratamento equivocado. Apesar de todas as conquistas de Gilman, já no início do século XX, ao descobrir-se portadora de câncer de mama, ela decidiu tomar clorofórmio e morrer para não ser um fardo para ninguém.
 O livro tem uma escrita perturbadora, que vai nos fazendo entrar na loucura daquela mulher que vê num papel de parede amarelo uma forma de perturbação que deveria ser eliminada para que alcançasse paz interior. Ela não consegue exprimir o que sente, mesmo porque o marido, apesar de ter certo cuidado, não lhe dá muita atenção, então, ela decide calar-se e vai entrando cada vez mais nesse estado de nervos alterado. O final é surpreendente...
Fico imaginando, quantos de nós vive suas desventuras por não conseguir se fazer ouvir, principalmente por pessoas que estão tão próximas, mas que não enxergam nossas dificuldades.

Algumas pessoas conseguem superar momentos difíceis, mas tanta gente para num problema e não consegue enxergar uma saída. Nessa hora, é preciso ser presente e notar que o outro precisa de ajuda.
 A campanha Setembro Amarela é uma tentativa de auxiliar essas pessoas que, muitas vezes, no florescer da vida, decidem que não querem mais prosseguir e tiram suas vidas de forma tão precoce e sem um aparente motivo.
 Espero que vocês possam ler o livro de Charlotte Gilman com um olhar de amor por aquelas pessoas que passam pelo problema da depressão e que possamos a cada ano, fazer mais por quem, às vezes,  precisa apenas de alguém que as ouçam e digam o quanto se importam.

Grande abraço,
Drica. 

Entra no Clube do Livro da Nane
http://www.livrosdanane.com/2017/08/clube-do-livro-setembro2017-2.html
 

1 de set de 2017

AIKA - Na Bienal Internacional do Livro - RJ



Vocês conhecem AIKA?

Pois é, gente, está surgindo uma oportunidade incrível de tomar conhecimento dessa história fantástica e de aventura da Lúcia Lemos!

Olha só que lindeza! Eu já tenho o meu com esses brindes, mas quem passar pelo estande de AIKA - da Ler Editorial - Pavilhão Azul - H-29, na Bienal Internacional do Livro do RJ a partir de hoje, vai ter direito a um kit mais lindo ainda, com marcador móvel e tudo mais!
Imagem retirada de @lucialemosart - Autora
Se eu fosse você não perderia! 

Esse mês tem Resenha do livro aqui no blog e a gente vai ficar sabendo um pouco mais sobre Aika e a Canção dos Cinco.

Grande abraço!

Drica.

PROJETO SETEMBRO AMARELO 2017


Blog Livros da Nane
Gente,

Assunto sério demais para a gente conversar:

Depressão e Suicídio

Vamos parar um pouco em pensar no que podemos fazer de bom para mudar a realidade de tanta gente que se sente vazia, sem rumo, sem saída e escolhe ir embora cedo demais!!!
Os que chegam a cometer o suicídio já se foram e deixaram a dor da família que não entende como poderia impedir o seu ente de cometer o ato em si.
Mas, não é apenas isso, tem muita gente por aí, vivenciando outra morte silenciosa: a depressão, que vai matando aos poucos a qualidade de vida de quem convive com o problema diariamente e não enxerga nenhuma solução! É preciso falar sobre o assunto e nos ajudarmos mutuamente para que a gente possa reduzir ao máximo esse tipo de doença silenciosa, mas que dá seus sinais.

Por isso, esse mês eu quero abraçar com todos os que eu puder essa causa nobre e bem vinda de falar sobre o assunto da maneira que puder fazer! Alguns promovem caminhadas, outros promovem eventos com palestras, outros reúnem ciclistas. Cada um quer dar sua contribuição e isso é bom demais, pois ajuda as pessoas que estão convivendo com o problema.
Encontrei no Blog Livros da Nane, uma iniciativa, dentro do Clube do Livro, uma forma de acompanhar essa campanha e fazer algo dentro de nossas possibilidades para debater sobre o assunto. Vou deixar o link aí no nome do blog para quem tiver interesse de conhecer e participar. Vamos nos engajar nessa?
Quero apenas dar alguns pequenos detalhes que eu pesquisei na internet sobre esse mês de mobilização e como podemos ajudar!
Blog Papo de Elevador
O Setembro Amarelo é uma campanha que visa conscientizar as pessoas sobre a prevenção do suicídio. Essa campanha acontece desde 2014, e há uma atenção especial no dia 10 de setembro, pois é o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio!

Imagem retirada da internet


A iniciativa em relação à campanha aqui no Brasil, foi do CVV (Centro de Valorização da Vida) e da ABP (Associação Brasileira de Psiquiatria), em 2014, como dito no início da postagem, na cidade de Brasília.

Voltando ao Clube do Livro, quero dizer que vou participar lendo um livro de capa amarela que trata de um assunto relacionado com o tema depressão que é o livro: O papel de parede amarelo.

Quem quiser participar dessa mobilização lendo e debatendo o tema com a gente, durante o mês, sinta-se convocado. É só acessar a postagem pela primeira imagem desse post que vai te direcionar para o blog em questão e lá tem tudo o que você deve fazer.

Eu só posso agradecer a quem se sentir tocado a fazer algo de positivo para mudarmos essa realidade!
Grande abraço,
Drica.

31 de ago de 2017

Clube do Livro - Agosto - 1# - Em algum lugar nas estrelas


Título: Em algum lugar nas estrelas.
Autora: Clare Vanderpoll
Editora: DarkSide Books
Nº de páginas: 284
Classificação: 4/5
Eu fiquei encantada com essa história, com a aventura e com a história pessoal dos dois garotos que se conheceram em um internato masculino no Maine. Um, vindo do nordeste do Kansas (Jack), depois da morte de sua mãe para ficar mais perto do pai, que era capitão da Marinha e que servia perto do Colégio Morton Hill. O outro garoto, Early, já fazia parte da Escola e tinha uma história comovente, cheia de pequenos detalhes que o faziam mais especial do que já era. Como Jack, ele era órfão e seu irmão tinha sido aluno da mesma escola, campeão de uma regata famosa por lá e também herói de guerra.
Esses meninos não tinham muita perspectiva de sucesso, mas empreenderam juntos uma viagem náutica em busca de si mesmos e de suas histórias pessoais, lutando contra todos os medos que possuíam no coração e contra suas limitações.

Cada um teve que fazer uma viagem para dentro do desconhecido pessoal e se ajudarem mutuamente.
Num dado momento da viagem, quando um dos meninos narrava sobre a vida de Pi, eu tive a impressão de estar na história das Mil e uma noites, quem tiver a oportunidade de ler a história, vai entender o porquê.
Essa história me ganhou desde as primeiras linhas. Acredito que me senti dentro daquele barco, vivenciando com Early e Jackie toda a aventura empreendida. A busca pelo Urso Apalache e pela busca de Pi. A busca pelos mortos, para logo depois poderem andar para frente e deixá-los em paz, em suas moradas!


Eu já havia comprado o livro desde o início do ano, mas encontrei o Clube do Livro do Blog da Nane, que me animou a adiantar essa leitura e poder saborear toda a sua delicadeza e força.
Estou participando dessa primeira parte do Projeto da Nane e muito empolgada para contribuir com a parte que virá no mês de Setembro.

Vamos participar também?


Um grande abraço,

Drica.