17 de mai de 2018

Leituras que furam a fila de outras leituras




É interessante depois de um tempo de leituras continuadas, perceber que aparecem, do nada, leituras que vão furando a fila das leituras já organizadas no mês. Muitas vezes, essas são as melhores e fazem uma diferença tremenda em seu interior, pelo menos, funciona assim para mim. Foi assim com dois livros esse mês: os últimos:

1 - Paris-Rio-Paris (Luciana Hidalgo)




Ainda que esteja bem no início e precise de mais atenção para captar o que a autora deseja, já me fez mergulhar num “sonho acordada”... Imaginar aquela viagem rumo ao deserto, as leituras compartilhadas por Maria e Arthur e toda a atmosfera romântica e, ao mesmo tempo, solitária dos dois, já me prendeu à leitura. O livro é curtinho, logo mais eu finalizo.







2 - A vida é uma tarde de chuva 
(Flávio Henrique Abbud e Flávia Gonçalves)



O outro livro é “A vida é uma tarde de chuva”, uma ficção maravilhosa que eu vi, de forma inusitada, nas atualizações do instagram de uma pessoa que está na minha lista. Eu comprei o e-book pela Amazon porque fiquei tão ansiosa para ler que não teria condições de esperar pelo livro físico… rsrsrsrs.
E é porque eu tenho feito de tudo para não iniciar novas leituras, antes de concluir as que já estão iniciadas, mas fazer o quê? A gente olha um livro e ele te hipnotiza de uma forma que é impossível não ceder…






Enfim, apesar das dificuldades de tempo, a gente sempre dá um jeitinho de incluir outras nas brechas do nosso dia. Se eu pudesse, eu nem dormiria, trocaria por uma sessão de inumeráveis leituras noturnas, mas o corpo deve descansar, até mesmo para estar inteiro quando a história pede um pouco mais de raciocínio!
Afinal, ler é bom demais!

QUOTES

"Contemplam esse pedaço de terra que metaforiza boa parte do silêncio de que o mundo é capaz (...)"  Rio-Paris-Rio

“Pessoas, coisas, lugares… nada sobrevive ao abandono.” 
  A vida é uma tarde de chuva

Grande abraço,
Drica.

11 de mai de 2018

Dia das Mães e Livros


Todos os anos a gente faz memória desta data que é eterna, pois, ainda que o homem busque de todas as formas criar um ser sem o auxílio de uma mãe, o universo inteiro reafirma a importância desse ser quase divino que é capaz de doar-se inteira para presentear o mundo com uma semente de amor.
Já imaginou, passar horas, dias, semanas, meses, gerando uma vida que será independente, mas que fará questão de depender eternamente do seu amor? Pois é, mãe é isso e tem gente que nem se dá conta...
Mas, hoje, quero me dirigir a um tipo de mãe, em particular: A mãe leitora, que apesar de amar com todas as forças a cria de suas entranhas, divide o tempo precioso do seu crescimento com seu amor pelos livros. E é tão feliz nesse projeto que acaba contaminando seus filhos a amarem os livros e produz mais leitores, e gente que se emociona lendo, muitas vezes, gera gente que produz histórias.
A magia dos livros é coisa séria, assim como Mãe é coisa seríssima, forjada nas lutas do dia-a-dia, diante do seu melhor projeto: gerar vida, gerar amor, gerar leitores, gerar desenvolvimento e ciência diretamente daquilo que se lê e que se produz, gerar sensibilidade, gerar arte, gerar tudo o que é bom.
Quando existe o cruzamento da Mãe com o livro certo, o resultado é qualidade de amor, qualidade de vida, qualidade de sociedade, encontro de ideias, organização interna, qualidade emocional.
Ser Mãe e ser Leitora é um desafio de amor aos filhos e aos livros, sem se desviar de nenhum, nem deixar brechas no primeiro amor. Ser plena, inteligente, solidária, amorosa, ser presente neste dia especial para todas as pessoas que dependem do seu carinho e de seu amor!
Felicidade plena a todas as Mamães e todas as Leitoras Mães do mundo!
Com carinho,
Drica.

9 de mai de 2018

Deixa eu te contar uma história, ou várias...

Vou começar contando a história da Coleção da Mônica Jovem.

Senta um pouco e vai contando a quantidade de revistinhas... rsrsrsrs

Essa coleção foi doada com muito amor e carinho para a linda Sophia, minha sobrinha querida e igualmente leitora compulsiva, no alto de seus 8? 9 anos? Enfim, ela ama ler, como sua tia. E eu adoro influenciar pro bem... rsrsrsrs.

Essas revistas pertenciam ao meu filho José, quando ele era menor, agora ele só que saber de Cassandra Claire e seus Instrumentos Mortais, Peça Infernais e Artifícios das Trevas... Credoooo!

Estou só fazendo charme... rsrsrs... Também gosto dessas tranqueiras!

Enfim, voltando à Coleção de revistinhas: Elas estavam abandonadas, empoeiradas e sem destino, coitadas! E, minha cunhada perguntou se eu tinha e podia emprestar? Emprestar??? José nem olhava mais para as coitadinhas, que apesar de empoeiradas estavam conservadas. Então, oficializamos a entrega e fizemos uma criança mais feliz do que ela é!

E vocês? Contem pra mim que tipo de coleção vocês fazem. Não precisa ser só de livros. Vai contando tudo aí pra gente poder trocar umas ideias depois!

Grande abraço a todos!

Ah, já ia esquecendo...
Essa daqui é a Sophia... Agora, mais feliz da vida com tantas coisas novas para ler!

Titia ama!!!

Beijos!

12 de abr de 2018

Pseudônimo Mr. Queen - Loraine Pivatto (spoilers) - Resenha

Título: Pseudônimo Mr. Queen
Autora: Loraine Pivatto
Nº de Páginas: 404
ISBN-13: 9788590956013
ISBN-10: 8590956016


O que você faria se o mundo acabasse e você fosse uma das sobreviventes e ficasse com a incumbência de criar a filha da mulher que você descobriu, minutos antes do fim, como a amante do seu marido? Tenso, não é? Pois é deste jeito que começa essa história eletrizante.

O ano é 2012, o dia: 21 de dezembro. Em meio a uma confusão iniciada pelo flagrante de uma traição, Regina Brandão desmascara seu marido Maurício e sua amiga Vanessa. Tiros ecoam pela sala da empresa da família Brandão e a única coisa que Regina lembra, ao acordar desta cena em um ginásio, é que provavelmente ela atirou em Vanessa. Mas, onde ela está agora?


No meio do caos, que ela ainda não entendia, Regina encontra Duda, filha de Vanessa, perdida entre os que estavam naquele ginásio e acaba cuidando da menina como se fosse sua filha. Mas, muitas coisas precisavam ser entendidas. O que estava acontecendo com o mundo? As regras mudaram e era preciso aprender rapidamente.
O mundo depois do pequeno apocalipse era muito estranho. As pessoas não conseguiam morrer. Sabia-se que quem sobreviveu, viveria até os 70 anos e passaria para uma outra vida que se estenderia até os 100 anos, com um detalhe: a pessoa chegaria a essa outra dimensão com 20 anos e com certa consciência da vida passada. Ao todo, nas duas vidas teriam direito a 150 anos.
O livro foi dividido em 3 partes que recebem o nome de três gerações da família Brandão:

1 - Regina Brandão
2 - Larissa Brandão
3 - Vitória Brandão

São mulheres fortes e que não aceitaram passivamente as novas regras. Elas são referência e marcam o romance do início ao fim do enredo.
Eu senti os homens do livro muito frágeis e apáticos, não sei se isso foi intencional ou se foi consequência da própria história e de seu desenrolar.
Em meio à história da família Brandão, existe uma empresa que regula as regras de vida e que cria um tipo de classificação das pessoas em forma de índice, que é regulado em três níveis:
  • Emocional
  • Profissional
  • Físico

Quando a pessoa deseja, pode pedir um tempo, que é chamado de refúgio e que consiste em ficar num estágio adormecido pelo tempo que se desejar, em gavetões (já imaginou? Poder dormir por 10 anos e acordar do ponto onde começou a dormir?)
Dentro do romance vamos ter muitas reflexões a respeito de sistemas de governo, sobre a importância de tomar decisões e suas consequências, sobre vingança, perdão, aceitação das pessoas, sobre como redes sociais influenciam e podem determinar as relações com os outros e consigo mesmo, aspectos da vida atual e que mexem com tantas pessoas de forma a orientarem suas condutas.
Se for para destacar uma frase do livro que me impactou demais, escolho essa:

“Em qualquer regime onde haja corrupção e distorção do poder o povo será sempre penalizado.” (nada mais atual).

Os homens que mais aparecem na trama também são três:
Júnior, que desaparece logo no início e que ninguém, em princípio, sabe onde foi parar.
Paulinho, que surge logo no início, mas que também some por um tempo, até reaparecer de uma forma inusitada.
Cristiano, que é amigo dos dois primeiros e que segue a história e tem um propósito que a gente só descobre lá no final.
Gostaria de poder falar mais, mas se eu disser vai tirar a graça da leitura e as surpresas que não param de acontecer durante o progresso do livro.
O quê? Ou quem é o Mr. Queen? Foi isso que eu me perguntei o tempo inteiro até as últimas páginas. Esse mistério vai te surpreender também.
Como o livro é cheio de detalhes porque a sociedade está totalmente reformulada, em alguns pontos a leitura fica um pouco cansativa, mas é normal, depois que passa o detalhamento e você consegue entender como funciona esse mundo novo, a história flui de uma forma perfeita, sempre com outras novidades que impulsionam a trama toda.

O livro Mr. Queen foi uma grata descoberta de que aqui também no Brasil a gente pode ter escritores contemporâneos que escrevem histórias complexas e com uma qualidade compatível com grandes escritores de fora. Não falo como profissional da área da crítica literária, mas falo como leitora compulsiva que sou, pois tenho lido tanto nacionais como estrangeiros por muito tempo e sei quando um romance tem qualidade, quando prende nossa atenção. A Loraine Pivatto acertou a mão, por isso, eu convido vocês a entrarem de cabeça nessa experiência com o livro.

Eu, participei do Book Tour do Pseudônimo Mr. Queen, convidada pela autora através de contato no Skoob. Se você quer participar também dessa experiência maravilhosa, entre em contato com a autora, que é uma pessoa super simpática e acessível, deixo aqui o link de sua conta no skoob: https://www.skoob.com.br/usuario/24625-loraine.

Quem quiser, também pode ler o livro diretamente pelo Kindle Unlimited, ou baixá-lo para o Kindle, comprando o e-book no site da Amazon. Recomendo demais!


Grande abraço,


Drica.

12 de mar de 2018

Comprinhas da Semana da Mulher


Quem de nós não sofre na hora de comprar livros??? Eu sofro horrores!!! Dá vontade de levar tudo, mas, infelizmente, o dinheiro não acompanha os desejos e a gente tem que se decidir. Não é diferente na Semana da Mulher com um turbilhão de ofertas rondando a gente. O que fazer? Planejar o que deve ser prioridade e comprar!
Vou fazer o meu último BOOK HAUL da Semana da Mulher desse ano. Vamos ver se as novas aquisições foram boas.
Comprei com o Cupom Promocional da SARAIVA, 9 livros que eu tinha interesse:
Essas foram as minhas aquisições e acredito que vou amar cada um delas. 
Eu já iniciei a leitura de As Crônicas Marcianas no leitor digital, mas é um livro tão bom que eu gostaria de ter a edição física.
Esse ano, eu li pela primeira vez um livro da Sarah Jio e fiquei encantada com o jeito que ela escreve, por isso escolhi o Neve de Primavera, também pela capa que traz uma linda cerejeira em flor.
Diário de uma volátil é uma HQ, pelo jeito, muito divertida, eu vi uma resenha num canal que curto bastante.
A Bolsa Amarela é um livro de literatura infantil, mas que também encanta muita gente grande pelo tema que aborda. A história de uma garota que tem 3 desejos e que os guarda dentro da bolsa amarela. Num relato simples e muito cheio de humor e reflexão a autora vai desenvolvendo o tema de uma forma muito envolvente! Acho que vou amar esse livro!
A série da Philippa Gregory é um show à parte. A Rainha Branca é o primeiro volume da série A Guerra dos Primos, que relata a ascensão da dinastia Tudor ao poder, na Inglaterra.
A Amiga Genial é o primeiro livro da série chamada Napolitana da Elena Ferrante e vai contar os encontros e desencontros na vida de suas amigas, suas conquista, seus fracassos e tudo o que sobrou depois de suas escolhas feitas. Uma história que acredito, vai nos fazer refletir sobre o peso das escolhas.
O Chalé de Moorland e Lizzie Leigh, porque não dá pra viver sem romances de época de boa qualidade, não é? São dois romances em um só livro, o que o torna melhor ainda. Li a sinopse e fiquei encantada.
A menina sem palavra - essa antologia de contos do Mia Couto promete encantar seus leitores e por isso eu tive vontade de tê-lo. Passei muito tempo pensando que esse autor moçambicano era uma mulher (rsrsrsrsrs), mas ele é um homem e que escreve com maestria sobre o seu país. Nesse livro, vamos ter dezessete contos que vão abordar a complexidade das relações humanas num país que viveu por anos em guerra. Esse livro promete muito!
E, para encerrar com chave de ouro, um livro que conta a luta de uma garota pobre, nordestina e negra que conseguiu alcançar seus sonhos com muita determinação e confiança - Dez passos para alcançar seus sonhos, para isso, teve que lutar contra todos os piores inimigos, mas que foi à luta e venceu! Esse livro eu conheci fuçando alguns vídeos de resenha do YouTube e fiquei encantada com o relato da autora. Livro nacional de não ficção.


E vocês? Aproveitaram as promoções?

Grande abraço,

Drica.